Receba a Luz!

Hoje em dia, a sociedade está num desfiladeiro mental tão estreito que a opinião que se tem acerca da “Luz” é dicotômica. O que isso quer dizer? Quer dizer que ou tem-se Luz como um fenômeno físico palpável ou algo muito além de nosso alcance, um bicho de sete cabeças.

Os maçons dizem aos membro recém-aceitos: “Irmão, que você receba a Luz!”. Jesus declarava a seus discípulos que eles eram “o Sal da terra e a Luz do Mundo”. Einstein afirmava (e nossos professores repetem) que E=mc² (Energia é igual à massa vezes a velocidade da Luz ao quadrado). Enfim, “Deus” declamou: “Faça-se a Luz”, e a Luz se fez.

Receba a Luz

Receba a Luz

A Luz pressupõe um estado anterior ou alternativo de trevas. As trevas existem ou simplesmente se configuram como ausência de Luz? A Luz seria percebida se ela fosse sempre presente?  Continue Lendo “Receba a Luz!”

O Zero e Deus

Como primeiro delírio do Claustrum, nada melhor que “começar do início”, pelo número Um, certo? Errado! Começamos a partir do Nada, repostando um de meus artigos mais complexos publicados no Dies Irae e falando sobre a mística do Zero, a figura do Supremo Ser Preexistente (que existe fora de nossa Existência e dela fora a Fonte). Os Cabalistas chamam-no de Eterno, Existência Negativa ou, simplesmente, Ain (o Nada).

Vamos acompanhar?

***

Continue Lendo “O Zero e Deus”