Cristofobia: a perseguição vai recomeçar!

Antes de falar sobre a Cristofobia, deixem-me elucidar alguns conceitos…

Quando há duas facções religiosas em conflito, sejam elas de importância e forças mais ou menos iguais, temos um cenário de guerra religiosa. Quando uma das duas, de igual força à sua opositora ou menor, não reage politicamente ou não tem condições para isso, vemos então um quadro claro de perseguição por parte da mais forte ou influente, que pode ser local ou se espalhar por regiões e países, além das fronteiras.

Religião está diretamente ligada a costumes e à cultura, à vocação de um povo. Se o povo tem uma mesma origem racial ou cultural, é natural que tenha uma religião principal, com algumas poucas dissidências. Mais que determinar de onde viemos, em termos práticos ou usando-se de elementos míticos, a Religião de um povo delineia o desejo de um povo quanto a onde pretende chegar, ao que almeja esse povo numa comunidade de povos ou no Mundo.

A Religião sozinha não pode resolver todos os problemas de uma sociedade, nem construir seu futuro sem a ajuda de suas outras irmãs, a saber: a Filosofia, a Ciência e a Arte. Todas as demais áreas do saber humano deriva, em maior ou menor grau, da mistura de atributos de duas ou mais dessas disciplinas. A Política deriva da interação patriótica da Filosofia e da Religião; o Direito provém da Religião e da Ciência; a Pedagogia saiu da barriga da Religião, acalentada pela Arte e reforçada pela Ciência da Natureza. E assim por diante!  Continue Lendo “Cristofobia: a perseguição vai recomeçar!”

Anúncios

Mentiras sinceras ou Verdades inconvenientes?

História Eclesiástica (Eusébio de Cesaréia)Está mais do que evidente, a nós que observamos a banda passar, que hoje prevalece nos discursos, seja de instituições religiosas ou políticas, a regra do quod licet (em lat., aquilo que convém). Aos ignorantes e ao populacho, é imposta uma ração de ilusões e promessas vãs bem diferentes das promessas inerentes do que nossas almas imortais nos garantem.

Ok! As instituições religiosas, bem como os credos que arrastam sob suas estolas e filactérios, são constituídas por homens em sua interpretação, pretensamente iluminada por Deus, acerca das Verdades Eternas. Verdades, mesmo? Ou seriam as sombras da Verdade que querem nos passar, cujos conteúdos convenham ao status quo  das hierarquias? Essas vultosas organizações hieráticas se dizem portadoras de Revelações divinamente inspiradas. É certo lhes imputar o título de infalíveis aos Papas? É humanamente compreensível dar a sacerdotes pecadores a tutela da guia do “rebanho” humano? Sim, é, desde que o rebanho se deixe livremente alienar!

Trago algumas citações de frases proferidas por pilares da Igreja dita “cristã” para que todos nós reflitamos a quais cetros nossas cabeças se inclinam:  Continue Lendo “Mentiras sinceras ou Verdades inconvenientes?”